A Justiça determinou nesta terça-feira (28) o arquivamento de inquérito sobre o ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), e sua mulher, Carolina de Oliveira.

Na chamada Operação Acrônimo, Oliveira era suspeita de lavar dinheiro de propina ao marido por meio de contratos com grandes empresas. O pagamento teria sido feito em troca de vantagens junto ao BNDES. 

Após quatro anos de apuração, o inquérito foi arquivado a pedido do MPF (Ministério Público Federal) por falta de provas.

Antes de se eleger, Pimentel era ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do governo de Dilma Rousseff (PT). Por conta da proximidade entre os dois, a imagem da ex-presidente também foi atingida.

Esta é a segunda vitória de Pimentel na Justiça em menos de uma semana. Há cinco dias, ele foi absolvido de uma acusação de caixa dois em sua campanha ao Senado em 2010.

Por Daniela Lima, CNN