A internet não perdoa e começou a circular nas redes sociais e no WhatsApp, foto da prefeita Almira Garms (PSDB) demonstrando o seu despreparo através de um meme.

A prefeita Almira Garms (PSDB) enfrentou uma bateria de perguntas, dirigida pelo Professor Elienton do AssisCity e Gerônimo Paes da Rádio Difusora. Quando questionada pelo repórter “se seria candidata” Almira Garms (PSDB) não foi incisiva, pois enrolou-se, demonstrando fraqueza com essa indecisão ao expor que, se o partido (PSDB) tiver um nome, ela (Almira Garms) poderia abrir mão de sua candidatura. Isso com certeza fez com que muitos membros da sigla sentissem saudades daquele que foi um dos maiores líderes do partido no município, o saudoso e grande empresário – Carlos Arruda Garms.

Na sequência a pré-candidata disse que foi eleita 4 vezes para o cargo de Vereadora, duas vezes presidente da Câmara, já foi do PFL, hoje DEM antes de ser do PSDB. Também disse ter grande admiração por José Serra. Lembramos que Serra, nessa semana enfrentou uma operação de busca e apreensão da Lava Jato batizada de Paralelo 23, da Polícia Federal, que investiga suposto caixa 2 na campanha de José Serra ao Senado em 2014.

Elogiou o  DADETUR colocando que o órgão ajudou a tirar do papel 35 convênios de 2009 e 2011. Citou como exemplo o GRANDE LAGO, a Maria Fumaça que, segundo a prefeita precisa voltar aos trilhos, entretanto devido à pandemia teve seu retorno suspenso. Almira Garms afirmou que nos próximos 4 anos todo o trabalho realizado irá impulsionar o desenvolvimento do município.

Questionada sobre alianças - disse: “Aí eu cito Getúlio Vargas... Getúlio Vargas diz assim ‘o político não pode ter amigos dos quais não possa se separar e nem inimigos dos quais não possa se aproximar’”. Esclarecendo que está aberta ao diálogo com todos, desde que, segundo ela, dentro do processo lícito.

Quando questionada sobre a afirmação de um pré-candidato que disse: não há diálogo com a Câmara por parte da prefeita. Almira Garms (PSDB) foi direta: “sou originária do poder legislativo... veja bem, teve candidato aí a prefeito que foi eleito com nossa ajuda... inclusive ajuda financeira” (numa referência clara ao pré-candidato que a acusou de não dialogar com a Câmara), existe uma discriminação”. Segundo a prefeita, o prefeito que a antecedeu (Edney Queiroz) nunca foi à Câmara Municipal e complementou: “já eu fui várias vezes”.

Ainda de acordo com a prefeita foi quebrado um paradigma. Antes indicavam para os Departamentos apenas amigos, com ela apenas técnicos. E que isso causou desconforto nesses que hoje a criticam por ela não aceitar loteamento na prefeitura. A prefeita elogiou seu vice-prefeito, esclarecendo que Clemente Júnior, agora irá disputar o cargo de Vereador.

Foto: Almira Garms (PSDB) candidata em 2016 ao lado de Clemente Júnior seu Vice

Quando questionada sobre a colocação do pré-candidato Dante Mantovani que segundo o repórter: “ele se considera um dos mais bem preparados e que não existe até o momento nenhuma figura política preparada e que se ele entender que haja uma pessoa mais preparada, ele retira a candidatura. Como a senhora recebe uma palavra como essa?”. “Agora eu vou invocar o filósofo iluminista Voltaire: não concordo com uma só palavra que ele disse mais defenderei até a morte o direito dele dizer”. Disse Almira.

Ao final a candidata se enrolou quando quis mostrar o que desejava para o município nos próximos 4 anos caso fosse reeleita, principalmente no tocante à criação e geração de empregos. Disse a prefeita: “nós acreditamos que Paraguaçu sendo um pólo turístico ele possa oferecer emprego, ele possa oferecer renda, e renda não é com Indústria de chaminé. Não, é o pasteleiro, é aquele que faz o picolé, que vende o picolé... eu acho que nisso aí que nós temos que apostar, isso será a maior aposta para os próximos 4 anos”.

Para alguém que disse ser empresária, que toma suas decisões baseadas nessa conduta, parece que a prefeita Almira Garms (PSDB) deseja que o município siga no caminho que está. Pouco desenvolvimento, pouco emprego, e muita dependência da população por parte daquilo que a prefeitura pode oferecer. E das Usinas. Claro, sua família é detentora no município e na Região (Usina Cocal - Unidade de Paraguaçu Paulista e Narandiba).

A julgar pela robustez econômica do Grupo empresarial ao qual a prefeita pertence, o município não irá sair do ostracismo político. Tão pouco o município irá alcançar melhoria ou modificar seu curso econômico uma vez que todos os pré-candidatos que foram à entrevista parecem estar fora da realidade do município e mais preocupados com sua eleição ou reeleição.