Durante um evento de sustentabilidade em Paris o presidente do conglomerado de luxo LVMH (Louis Vuitton Moet Hennesey) e o homem mais rico da Europa Bernard Arnault, chamou a ativista sueca Greta Thunberg de “desmoralizante”.

 Ao falar sobre os planos da LVMH de se tornar mais "verde", o bilionário, que administra marcas de moda como Louis Vuitton e Christian Dior, criticou a jovem de 16 anos que lidera o "Fridays for Future", movimento internacional de greves estudantis contra o aquecimento do planeta:

Ela é uma jovem dinâmica, mas está se rendendo completamente ao catastrofismo… Acho que suas opiniões são desmoralizantes para os jovens. Prefiro soluções positivas que nos permitem alcançar uma visão mais otimista — disse.

 Greta Thunberg parece colecionar animosidades por políticos e empresários, desde que se tornou protagonista da luta contra as mudanças climáticas tem dividido opiniões, tendo se tornado alvo de mentiras e campanhas de difamação nas redes sociais.

Já sofreu ataques nas redes sociais por parte do presidente Donald Trump que ironizou sua preocupação com as gerações futuras: “Ela parece ser uma menina muito feliz, a caminho de um futuro brilhante e maravilhoso. Que lindo de ver!” escreveu em sua conta. Greta atualizou sua biografia no Twitter: “Uma garota muito feliz a caminho de um futuro brilhante e maravilhoso.”

Outro político que não poupou Greta Thunberg nas redes foi o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que publicou no Twitter uma foto manipulada da menina acusando-a de ser financiada pela Open Society Foundation, do investidor bilionário e filantropista George Soros — a fundação nega qualquer envolvimento com a ativista.

Greta não se intimidou com os ataques e já convocou seus seguidores para uma nova batalha em defesa do clima.

"Como vocês devem ter notado, os haters estão mais ativos do que nunca — me perseguindo por minha aparência, minhas roupas, meu comportamento e minhas diferenças. Eles criam todas as mentiras e teorias da conspiração imagináveis", escreveu ela no Instagram e no Twitter.

"Sinceramente, não entendo por que os adultos escolhem passar o tempo zombando e ameaçando adolescentes e crianças por promoverem a ciência, quando poderiam estar fazendo algo de bom. Eu acho que eles devem se sentir simplesmente ameaçados por nós."