São Paulo – Com depósito realizado ontem (29) pela Caixa, terminou o pagamento do auxílio emergencial, a não ser que o governo se sinta pressionado o bastante para rever sua decisão. De outra forma, a tendência é de aumento da pobreza e da desigualdade, em um cenário que inclui alta dos casos de covid-19. Os reflexos devem se sentir também no mercado de trabalho. Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, divulgados ontem, mostram que mais gente saiu à procura de trabalho no trimestre encerrado em outubro. Mas as vagas obtidas foram, basicamente, informais.

Em um ano, o país perdeu quase 10 milhões de vagas. O número de ocupados caiu 10,4%, de 94,1 milhões para 84,3 milhões. Ao mesmo tempo, o total de desempregados cresceu 13,7% (mais 1,7 milhão), para 14,1 milhões. Mesmo o emprego sem carteira e o trabalho por conta própria tiveram redução.

Por Vitor Nuzzi, da RBA