O presidente Jair Bolsonaro disse na noite desta quinta-feira, 26, durante transmissão ao vivo em suas redes sociais, que não vai tomar lado no segundo turno das eleições em São Paulo. “Não vou dar dica aqui. Tô fora dessa”.

© Reprodução Em live nesta quinta-feira, 26, Jair Bolsonaro despistou sobre apoio a candidatos no segundo turno. 

Quando comentou sobre as eleições no Rio de Janeiro, o líder do Planalto tampouco pediu votos para o prefeito e candidato à reeleição Marcelo Crivella (Republicanos), apoiado pelo presidente no primeiro turno. “Votem em quem quiserem”, disse Bolsonaro, que tem boa relação com o adversário de Crivella na disputa, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM). Paes lidera com folga a corrida eleitoral no Rio de Janeiro, segundo pesquisas de intenção de voto. Como mostrou o Estadão/Broadcast, o presidente falhou como cabo eleitoral nessas eleições.

Ao lado do ministro da Educação, Milton Ribeiro, e do secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, Bolsonaro lembrou que seu candidato na capital paulista, Celso Russomanno (Republicanos), foi derrotado em primeiro turno, e teceu comentários em tom de crítica sobre os rivais desta segunda etapa, o prefeito e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), e Guilherme Boulos (PSOL). “O Covas declarou que não votou em mim no segundo turno. Então votou no PT, no Haddad. O outro cara, do PSOL, é conhecido.”

Covas, na verdade, já disse publicamente que anulou seu voto nas eleições presidenciais de 2018.

Pandemia

O presidente aproveitou a live para comentar sobre a covid-19. Segundo ele, a utilização de máscaras como forma de prevenir o novo coronavírus “deve ser o último tabu a cair”. “A grande maioria dos que se infectaram da covid foi em casa”, voltou a dizer, sem apresentar provas. Bolsonaro ainda lamentou o acidente de ônibus em Taguaí, no interior de São Paulo.

Por: ESTADÃO - Eduardo Gayer, Daniel Galvão e Nicholas Shores