© Sérgio Lima/Poder360 O presidente Jair Bolsonaro fará discurso na abertura dos debates da 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas

O presidente Jair Bolsonaro vai usar o discurso de abertura nos debates da 75ª Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), na 3ª feira (22.set.2020), para rebater críticas sobre sua gestão ambiental na Amazônia.

A informação foi publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, que teve acesso a 1 texto preliminar com diretrizes para o pronunciamento de Bolsonaro.

O presidente deve mencionar que ele mesmo designou o vice-presidente Hamilton Mourão para estar à frente do Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Ele ainda deve dizer que seu governo trabalha na “mobilização de recursos para controlar o desmatamento, combater atividades ilegais e o crime organizado na Amazônia”.

A expectativa é que o presidente cite que o governo tem trabalhado para atrair financiamento para projetos na floresta.

O chefe do Executivo deve alegar ainda que o Brasil tem avançado na implementação da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável da ONU. No discurso, deve destacar que a preservação ambiental tem que seguir junto com o desenvolvimento econômico.

O presidente, no seu discurso de estreia na Assembleia Geral da ONU, em 2019, criticou o socialismo, Cuba e os governos Lula e Dilma. Falou de economia, acordos comerciais internacionais e Amazônia. Disse que não vai demarcar mais terras indígenas.

Combate à pandemia

Em seu pronunciamento, o presidente também deve defender a atuação de seu governo no enfrentamento à covid-19. Bolsonaro tem repetido que o Brasil foi 1 dos países que melhor enfrentou a crise.

No texto preparado para orientar o discurso, há uma sugestão de que o presidente brasileiro expresse suas condolências em homenagem às famílias afetadas pela doença e agradeça os esforços dos profissionais de saúde.

STF debate crise ambiental

Pela 1ª vez, o STF (Supremo Tribunal Federal) fará uma audiência pública para debater a crise ambiental no Brasil e o funcionamento do Fundo do Clima (Fundo Nacional sobre Mudança do Clima).

A reunião terá início nesta 2ª feira (21.set), às 9 horas, 1 dia antes do discurso de Bolsonaro na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Por Poder360